[AdWords] Como estruturar a minha conta?

Total
0
Shares
Adwords estruturar conta

Este artigo visa responder a algumas das perguntas que mais me fazem sobre o Google AdWords e a estrutura das contas: “Quantas palavras-chave devo ter por grupo de anúncios?” E até mesmo “e quantas campanhas e grupos de anúncios?”. Vou dar estas respostas, focando-me apenas nas campanhas de Pesquisa. E vou dar as respostas baseando-me nas minhas metodologias de trabalho e na minha experiência em gestão de campanhas. Não é a fórmula mágica, mas é a minha fórmula mágica.

Na hora de criarmos campanhas numa nova conta, ter uma estrutura previamente definida vai-nos ajudar a otimizar o nosso tempo e o resultado. Porque se errarmos à partida na estrutura e de futuro quisermos reformular a estrutura da conta e mover grupos de anúncios, ou palavras-chaves para outros grupos isso implica perdermos todo o histórico desses elementos movidos e recomeçar o trabalho de otimização. E porque o histórico conta, é importante parar para pensar antes de colocar mãos à obra.

Numa estrutura de conta do AdWords, temos 3 níveis:

  • Nível 1: Campanhas
  • Nível 2: Grupos de anúncios
  • Nível 3: Palavras-chave

Portanto, começando de cima para baixo:

Quantas campanhas deverei ter no Google AdWords?

Sempre que aparece um cliente novo em AdWords, sem grande conhecimento na ferramenta e que faz o trabalho por si só “para desenrascar”, o mais normal é ver uma campanha, com um grupo de anúncios e “tudo ao molho”. Palavras-chave com significados altamente dispersos, a levar o utilizador para o mesmo anúncio. Perde-se a relevância, perde-se impression share, aumenta-se os custos (espera, aumenta-se MUITO os custos). E lá se vai a taxa de conversão. 

Mas não queremos nada disso. Vamos lá então responder à pergunta.

A resposta é um “depende”, partido em duas partes:

Qual o teu orçamento?

Como os orçamentos são atribuídos ao nível das campanhas, se tiveres muitas campanhas e pouco orçamento, vais ter que distribuir esse pouco orçamento pelas várias campanhas e cada uma vai ficar com pouco orçamento. A consequência é que vais ficar com dados muito granulados e irás precisar de muito tempo para tirar conclusões. Portanto, respondendo à pergunta, se tens um orçamento baixo, então cria poucas campanhas, cria apenas campanhas com os termos onde tens maior probabilidade de sucesso, os termos fortes do teu negócio. Não recomendo ter menos de 5 euros por dia numa campanha (5 euros por dia vai-te consumir 150 euros por mês).

Que temas / áreas o teu negócio explora?

Se o orçamento não for um problema e tiveres então a possibilidade de criar uma estrutura, então está na hora de identificares os grandes temas que vais trabalhar no AdWords. O que quero dizer por temas? Uma boa dica é olhares para os menus do teu site e ver como tens estruturado o site. Pegando aqui no meu exemplo, no meu site pessoal de Marketing Digital, na topbar encontro :

Consultadoria, Formação, Palestras, Google AdWords.

Estas poderiam ser as minhas 4 campanhas no Google AdWords. Todos eles são temas com um propósito muito específico, para diferentes públicos (eventualmente) e com semântica totalmente diferente entre elas. No exemplo acima do pouco orçamento, se não estiver disposto a gastar muito em AdWords, vou-me focar então no forte do meu serviço, o Google AdWords em vez de criar várias campanhas.

Quantos Grupos de Anúncios deverei ter dentro de cada campanha? E quantas palavras-chave dentro de cada grupo de anúncios?

É mais simples responder a estas duas perguntas de uma só vez para que se entenda o objetivo. Estes são os níveis 2 e 3 daqueles 3 níveis que identifiquei acima. Identificados então os temas que vamos trabalhar, as campanhas que vamos criar (nível 1, nível superior), a minha recomendação é que se pense no nível 3 (nível inferior) – nível das palavras-chave – para se estruturar o nível 2 – o nível dos grupos de anúncios. Confuso? Vais já perceber a ideia.

Sou um defensor de grupos de anúncios com o mínimo de palavras-chave possível. No limite e num mundo perfeito, uma palavra-chave (e suas variações semânticas) seria mesmo o ideal. Ao colocar mais que uma, que sejam sempre super parecidas entre elas, com um significado e contexto idêntico. E isto porquê? Só assim vamos ter um anúncio altamente relevante.

No AdWords, criar complexidade é criar relevância.

É verdade que muitos grupos de anúncios aumenta a dificuldade de gestão. É verdade sim. Mas também aumenta o nosso resultado, o controle sobre as palavras-chave e os anúncios, o controlo sobre o que está a gerar resultado. Aumenta tudo. Quem disse que o trabalho de um PPC Manager tinha que ser fácil?

Aumentamos a complexidade, aumentamos a carga de trabalho de execução, pulverizamos os dados, mas ganhamos relevância, cortamos nos custos e otimizamos o resultado final, aumentamos o controlo da campanhas e minimizamos o “efeito iceberg” em cada grupo de anúncio.

O efeito iceberg explicado:

efeito iceberg adwords

Com uma estrutura complexa de conta, minimizamos o efeito iceberg, minimizamos aquilo que não vemos. Os termos de pesquisa que levam à exibição de determinados anúncios ficam muito mais controlados do nosso lado. E ter este controlo é sucesso garantido.

Esta é a minha forma de trabalhar, não te espantes se um dia vires uma conta que estou a gerir com dezenas de campanhas, com dezenas de grupos de anúncios. O “tudo ao molho” realmente não funciona 😉

E tu, como estruturas as tuas campanhas de AdWords?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

fourteen − 1 =

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

You May Also Like